13/02/2019

Setur-SP visa transformar turismo do estado em referência mundial

O estado de São Paulo tem como missão transformar o turismo paulista em referência mundial. Mesmo sendo conhecida como a capital de negócios, Vinicius Lummertz, secretário de Turismo, afirma querer ainda mais. Segundo ele, para isso, a gestão dos municípios precisa transformar o que é planejamento em objetivo para os próximos anos.
 
Nos territórios onde há parques ecológicos, por exemplo, os municípios devem trabalhar de forma regional, além de incentivar as pessoas a fazer parte do desenvolvimento econômico. É uma questão moral. Imoral é estas pessoas não participarem desse desenvolvimento por não haver comunicação com os gestores públicos”, afirmou Lummertz.
 
Além disso, o profissional destaca que o maior parceiro do turismo é o meio ambiente e vice-versa. Ademais, afirmou que a pasta está passando por uma reformulação, a fim de transformá-la em uma referência de qualidade para o Brasil e o mundo. De acordo com o secretário, “o maior parceiro do Turismo é o Meio Ambiente. “O Turismo do Estado de São Paulo tem o maior potencial planetário”, avaliou.
 
Ações governamentais
Uma das iniciativas recentes da secretaria foi a reunião para discutir a importância da integração entre os municípios juntos à Associação das Prefeituras das Cidades Estância do Estado de São Paulo (Aprecesp). Lummertz ressalta que a soma de trabalho com efetivo marketing de promoção dos destinos pode levar a ações das estâncias que incrementam o fluxo de turistas.
 
Há que se contar com uma regionalização organizada. Assim, obtemos a melhor resposta para o desenvolvimento destes destinos”, comentou o secretário junto aos representantes de cidades paulistas.
 
João Dória, governo de São Paulo, também apresentou o estado como um Estado-nação. A ideia é atrair investidores e mostrar a estrutura e a capacidade que o Estado possui. “Vamos estimular investidores para setores estratégicos da economia de São Paulo. Dentre eles: agronegócio, indústria de transformação, setor de tecnologia, economia criativa e turismo”, disse.
 
FONTE: BRASILTURIS